Dia 10 (segunda-feira): O mundo avalia o Matrimónio cristão pelo grau de santidade das famílias cristãs. (Francisco Xavier Nguyen Van Thuan, O Caminho da Esperança, edição Paulinas, pág. 104, nº 499)

Dia 11 (terça-feira): Um pouco de sal cai bem nos alimentos, mas só um pouco. Quem se alimentasse unicamente de sal, seria insensato. A diversão comedida cai bem, condimenta o trabalho e a fadiga. Mas é uma loucura pretender uma vida só de diversão e vai contra o cristianismo que afirma: a vida nunca pode ser um peso para muitos e uma festa para alguns, porque é para todos um encargo de que cada um prestará contas. (Papa João Paulo I; Papa Luciani – 366 pensamentos, edição Paulinas, pág. 137, nº 2)

Dia 12 (quarta-feira): Combate fortemente, minha filha, se foste premiada com uma alma forte. (S. Pio Pietrelcina; O Grande Amor de Deus – 365 dias com Padre Pio, edição Paulus, pág. 102, nº 31)

Dia 13 (quinta-feira): A rotina causa a esterilidade da alma. (Gabriela Bitterlich)

Dia 14 (sexta-feira): Não compreendo que te chames cristão e tenhas essa vida de preguiçoso inútil. Esqueces a vida de trabalho de Cristo? (S.J.E., Caminho, Edições Prumo, pág. 163, nº 356)

Dia 15 (sábado): Não percas tempo lamentando todo o trabalho que ainda resta por fazer: põe-te em ação. (Cura D’ars)

Dia 16 (domingo): Não é bom contar anedotas obscenas, nem que seja só para fazer rir. A experiência ensina que muitas vezes se põe em prática aquilo que se tem por hábito dizer. É uma lei psicológica bem conhecida. (Francisco Xavier Nguyen Van Thuan, O Caminho da Esperança, edição Paulinas, pág. 93, nº 446)